PT | EN | ES
17-11-2017

João Ferraz: “Boa defesa e contra-ataque podem causar-lhes problemas”

Ex-jogador do FC Porto conhece bem o Fücshe Berlim, adversário dos Dragões na Taça EHF


O adversário na terceira ronda de qualificação da Taça EHF podia ser austríaco, alemão, dinamarquês, espanhol, eslovaco, esloveno, francês, húngaro, polaco ou sueco. Quis o capricho do sorteio que o caminho do FC Porto se voltasse a cruzar com o do Füchse Berlim, da Alemanha, líder do mais forte campeonato do Velho Continente, de acordo com o ranking da Federação Europeia de Andebol.

Este sábado, (18h30), no Dragão Caixa, e cinco dias depois na Toca, Dragões e Raposas discutem um lugar na fase de grupos da segunda mais importante competição europeia de clubes.

Passaram mais de dois anos e meio desde a última e única vez em que azuis e brancos do Porto e os roxos e amarelos de Berlim se encontraram nos palcos europeus. Estávamos em 2015 quando as duas equipas se defrontaram no grupo C da Taça EHF, tendo os alemães levado a melhor, quer no Dragão Caixa (26-20), quer no Max-Schmeling-Halle (25-20), a Toca, como é apelidado o pavilhão das raposas (füchse em alemão).

O lateral direito João Ferraz, que nessa altura vestia a camisola do FC Porto e marcou nove golos no total dos dois jogos, representa hoje os germânicos do HSG Wetzlar e considera que os berlinenses jogam de maneira diferente, até porque o treinador é outro, mas continuam fortes.

João Ferraz, que em três anos de Dragão ao peito se sagrou três vezes campeão nacional e ainda venceu uma Supertaça, garante que Velimir Petkovic, um treinador com créditos firmados, lidera um plantel que mistura juventude e experiência, recheado de internacionais, entre os quais se destacam o central sérvio Petar Nenadic e os laterais esquerdo e direito alemães Steffen Fäth e Fabian Wiede.

Em 2013/14 ergueu a Taça da Alemanha, o primeiro troféu do palmarés, e terminou a Taça EHF no último lugar do pódio. Era um prenúncio para o que haveria de acontecer um ano depois, com a conquista da segunda mais importante prova do andebol europeu, que lhe valeu o acesso à edição 2015 do Campeonato Mundial de Clubes de Andebol, que também venceria. Leia de seguida a análise de Ferraz.

Orçamento alto e investimento grande
“É um clube com um orçamento muito alto e, como tal, em todas as épocas faz um investimento muito grande no plantel. E esta não fugiu à regra.”

Bom arranque de campeonato
“Apesar de ter começado muito bem, ainda falta muito para o fim. Aqui, o resultado de cada jogo é sempre uma surpresa e, até ao final do campeonato, tudo pode acontecer.”

Pontos fortes
“É uma equipa forte, completa, organizada, que joga muito bem na defesa e no contra-ataque, que sabe aproveitar bem o erro do adversário.”

Como surpreender os alemães
“Talvez com uma boa defesa e apostando em saídas rápidas para o contra-ataque, o FC Porto possa causar-lhes problemas.”

Notícias Relacionadas
11-11-2017

Série vitoriosa prolongada diante do Avanca

A equipa de andebol venceu na tarde deste sábado a formação do Avanca, por 29-19, conseguindo assim o sétimo triunfo…

Ver mais
09-11-2017

Iturriza alerta para o “bom andebol” do Avanca

Victor Iturriza chegou ao andebol português em 2014, pela porta do Avanca, precisamente o próximo adversário dos…

Ver mais
08-11-2017

Dragões de Ouro em destaque na revista de novembro

​​A noite de 25 de outubro encheu de brilho o Dragão Caixa. Foi ali, na casa das modalidades do FC Porto, que decorreu a…

Ver mais
Fechar