FCP logo
0

Sérgio Conceição anteviu o Portimonense-FC Porto, que se joga nesta sexta-feira em Portimão (19h00)

Na 13.ª jornada do campeonato, o FC Porto desloca-se a Portimão para defrontar o Portimonense (19h00, Sport TV). Os Dragões são, nesta altura, primeiros classificados do campeonato com 32 pontos, mais 12 que o adversário de amanhã, que é sexto e vem de três jogos sem derrotas em todas as competições.

Sérgio Conceição, em conferência de antevisão à partida, começou por garantir que “a preparação foi igual aos outros jogos que fazemos nas diferentes competições, olhámos para o que somos enquanto equipa, para a valia do adversário, para o momento que atravessam e procurámos perceber o porquê desse bom momento. Foi essa a preparação para o que é um jogo difícil e vamos lá para ganhar os três pontos”.

Sobre o adversário de amanhã, o treinador do FC Porto explicou: “Os históricos não me dizem muito, relembram-me que é sempre difícil jogar em Portimão, temos isso presente com jogos ganhos ao cair do pano. O Portimonense tem-nos habituado a ter grupos com alguns jogadores com qualidade acima da média, aliou isso à capacidade que a equipa tem de sofrer pouco porque tem jogadores com grande impacto físico, é uma equipa que se organiza bem e muito vertical e incisiva nos ataques à baliza adversaria. São muito eficazes nas poucas situações que criam, os factos e dados dizem-me isso também. Estamos precavidos para o que é um jogo difícil, a dinâmica defensiva deles tem sido forte, são a quarta melhor defesa com apenas mais um golo sofrido que nós”. 

Por isso, o segredo para o triunfo passa por “criar situações no último terço, temos de ser uma equipa concentrada e muito forte no nosso processo defensivo e em todos os momentos desse processo. Se estivermos muito atentos ao que somos como equipa, o jogo pode enquadrar-se no que queremos. Se não formos rigorosos e exigentes com as nossas caraterísticas, vamos ter ainda mais dificuldades”.

O técnico azul e branco abordou também o impacto que a Covid-19 pode ter no campeonato: “Ainda hoje tivemos uma conversa com o departamento médico no balneário e deixamos claro que a responsabilidade tem de ser grande de toda a gente. Se não formos responsáveis, podemos ficar sem alguns elementos, não só jogadores, mas também do staff. Temos de viver com a máxima responsabilidade, todos os cuidados são poucos para nos mantermos aptos para a vida normal. É preocupante para a sociedade, temos todos de combater isso da melhor forma".

Por fim, o mister, questionado sobre o reencontro com Paulo Sérgio, concluiu: “Somos homens do futebol, cabe-me analisar o que é o trabalho do Paulo enquanto treinador, e isso tem que ver com o seu trabalho diário. O Paulo é dos treinadores com quem mais simpatizo, esse foi um episódio que passou. Não foi bonito, acontece, pela Europa fora há casos disso, na emoção do jogo passou-se. Quero que o Paulo Sérgio seja muito feliz a nível profissional exceto amanhã”.
 

    O Portal do FC Porto utiliza cookies de diferentes formas. Sabe mais aqui.
    Ao continuares a navegar no site estás a consentir a sua utilização.