FCP logo
0

Sérgio Conceição analisou a passagem ao Jamor e contou como se viveu o castigo de Pepe dentro do grupo

Após ter carimbado a passagem à final da Taça de Portugal, após o FC Porto ter vencido o Sporting (1-0), Sérgio Conceição começou por analisar a partida em que os Dragões jogaram “num bloco médio-alto”, em que tiveram “o jogo controlado” e parabenizou os jogadores “que entenderam quase na perfeição o que foi planeado”. O técnico revelou também que foi o grupo, “em conjunto”, que decidiu que “Pepe merecia estar no jogo de hoje e viver as emoções deste clássico”, uma decisão que deixou o mister “feliz”. Depois de realçar o trabalho e o espírito positivo de todos os atletas e de congratular o Tondela pela chegada ao Jamor, Conceição focou-se já no próximo jogo: “A partir de amanhã, vamos começar a pensar numa equipa muito difícil que vamos encontrar na segunda-feira em Braga”.

A análise ao clássico
“Fazia parte da estratégia ter a equipa num bloco médio-alto, não ir buscá-los naquela construção a partir do Adán, porque no campeonato sofremos um bocadinho com essas saídas a partir do momento em que conseguiam contrariar esse momento de pressão. Penso que o Sporting conseguiu sair três ou quatro vezes no jogo do campeonato com algum perigo, os jogadores interpretaram o plano de jogo na perfeição, talvez faltasse um pouco mais de discernimento, de bola na primeira parte, o que conseguimos na segunda. Sempre com o jogo controlado, lembro-me apenas de uma ocasião do Matheus Nunes no início da segunda parte, tivemos algumas chances em que podíamos até ter feito mais golos dentro do que foi um jogo muito adulto da minha equipa. Houve um ajuste no nosso setor intermédio para controlar a largura e a profundidade do Sporting, parabéns aos jogadores que entenderam quase na perfeição o que foi planeado.”

A decisão coletiva e merecida de colocar Pepe em campo
“Posso confidenciar que, até há dois dias, o Pepe ia jogar, mas quando soubemos que o Pepe estava castigado, ia jogar o Fábio Cardoso. Os jogadores entendem, por aquilo que é o trabalho diário, quem está mais próximo de jogar, mas eu tive a oportunidade de dizer ainda ontem, no último treino, que era o Fábio que ia jogar quando disse a equipa aos jogadores. Depois, à última da hora, surgiu esta situação em que eu tive a abertura, que tenho sempre, e a frontalidade de ter uma conversa com os jogadores e, em conjunto, decidimos que o Pepe merecia estar no jogo de hoje e viver as emoções deste clássico, não tanto pelo plano desportivo, mas mais pela justiça que era ele estar em campo porque confio nos centrais que tenho à disposição. Fiquei feliz pela decisão de ver o Pepe em campo, um jogador experiente, o capitão.”

A capacidade de trabalho e o estado de espírito positivo de todo o plantel
“Os jogadores são sempre do que se trabalhe e do que se vive em termos de estado de espírito. O Toni, tal como outros “Tonis” que houve durante a época e que vão certamente existir até ao final da época, estão todos muito bem no sentido em que trabalham no máximo e o estado de espírito é o melhor. Se os jogadores acreditarem no que estão a fazer e tiverem essa energia positiva, podem acrescentar ao jogo o que lhes é pedido. Essa resposta é o reflexo do estado de espírito que se vive no nosso balneário e que me dá um orgulho imenso, porque só assim podemos ser competitivos nas provas em que estamos inseridos.”

Os parabéns ao Tondela e o desejo de quebrar o enguiço pessoal no Jamor
“Uma palavra para o Tondela, uma região que merece ter uma equipa na primeira divisão e quero desejar-lhes um bom final de campeonato e dar-lhes os parabéns por esta presença na final da Taça de Portugal. Vai ser um jogo difícil, a seu tempo falaremos dele. Vivi muitos jogos naquele estádio enquanto jogador, é verdade que nas duas últimas finais não fui assim tão feliz, temos esta terceira oportunidade para invertermos o que aconteceu. Dormimos sobre esta presença no Jamor e, a partir de amanhã, vamos começar a pensar numa equipa muito difícil que vamos encontrar na segunda-feira em Braga. Esse é o nosso foco, não quero estar aqui com hipocrisias, estou feliz, estamos no caminho certo e falta-nos a fase final do campeonato e o jogo com o Tondela dia 22 de maio.”

    O Portal do FC Porto utiliza cookies de diferentes formas. Sabe mais aqui.
    Ao continuares a navegar no site estás a consentir a sua utilização.