FCP logo
0

Sérgio Conceição considerou justo o triunfo portista em Portimão (3-2), na quinta jornada da Liga NOS

Com golos de Alex Telles (25m), de grande penalidade, Zé Luís (45m) e Marcano (90m+8), o FC Porto bateu o Portimonense (3-2), no Portimão Estádio, na quinta jornada do campeonato. Após o quarto triunfo consecutivo na prova, Sérgio Conceição falou sobre o “espírito positivo” que permitiu aos Dragões saírem do Algarve com mais três pontos somados. No entender do treinador do FC Porto, perante tantas oportunidades desperdiçadas, não havia necessidade de esperar pelo oitavo minuto do período de compensação para garantir a vitória.

Triunfo do coletivo
“O golo foi do Marcano, mas a equipa é que foi decisiva. Pelo espírito positivo que tivemos e por tudo o que fizemos durante o jogo, esta vitória é mais do que justa. Criámos várias oportunidades para marcar e devíamos ter fechado o jogo quando tivemos oportunidade para isso. O jogo estava controlado e, de um momento para o outro, sofremos dois golos. Por vezes o treinador complica o jogo e hoje eu compliquei o jogo. Quem percebe de futebol, sabe o que estou a dizer. Hoje fui eu que compliquei o jogo. O golo no último segundo demonstra a alma desta equipa. Nesse aspeto, tenho um balneário fantástico.”

Três pontos importantes
“Ao contrário do que muitos falam, hoje viu-se as dificuldades que tivemos. O Portimonense jogou com muita atitude e muita alma para tentar contrariar-nos, mas o FC Porto também se apresentou muito forte neste jogo, sobretudo até aos 75 minutos. Não era um jogo para fazer qualquer tipo de gestão. O Romário estava tocado, o Zé Luís conseguiu recuperar e tínhamos mais jogadores com dificuldades. Optámos por arriscar pois sabíamos as dificuldades que íamos ter e a importância destes três pontos. A prestação do Portimonense valorizou a nossa vitória.”


    ⚽ Bilhetes para os jogos no Dragão

    O Portal do FC Porto utiliza cookies de diferentes formas. Sabe mais aqui.
    Ao continuares a navegar no site estás a consentir a sua utilização.