FCP logo
0

Marcano e Sérgio Oliveira assinaram os golos da reviravolta do FC Porto frente ao Gil Vicente (2-1), no Dragão, na 18.ª jornada da Liga NOS

O FC Porto bateu esta terça-feira o Gil Vicente (2-1), no Estádio do Dragão, em jogo referente à 18.ª jornada do campeonato. Marcano (45m+2) e Sérgio Oliveira (57m) foram os marcadores de serviço nos Dragões, que passam a somar 44 pontos, menos sete do que o Benfica, primeiro classificado.

Estavam decorridos apenas sete minutos quando o FC Porto dispôs da primeira oportunidade para marcar: Denis socou para a frente um livre de Alex Telles e Sérgio Oliveira, em plena grande área, não teve pontaria suficiente para aproveitar a oferta do guarda-redes do Gil Vicente. A partir daqui, os Dragões sentiram algumas dificuldades para contrariar a organização defensiva dos barcelenses e só de longe é que voltaram a ameaçar, por Romário Baró (31m). Pouco depois, o jovem médio portista isolou Marega, mas o maliano adiantou demasiado a bola quando se preparava para contornar Denis e atirar para a baliza deserta (38m).

Antes, Sandro Lima também não conseguiu desfeitear Marchesín na cara do guarda-redes argentino, mas o desfecho seria diferente no reencontro entre ambos. A finalizar uma transição rápida do Gil Vicente, Fernando Fonseca serviu Sandro Lima para o primeiro golo da noite num lance em que Marchesín foi infeliz na tentativa de segurar o cabeceamento do avançado brasileiro (45m). A resposta portista não demorou muito e foi assinada por Marcano que, de cabeça, deu o melhor seguimento a um cruzamento bem medido de Matheus Uribe (45m+2). O FC Porto foi rápido a reagir à desvantagem e deixou tudo igual à ida para o intervalo.

A etapa complementar arrancou com o árbitro Rui Oliveira a perdoar a expulsão a João Afonso, que devia ter visto o segundo cartão amarelo após falta muito dura sobre Romário Baró (48m). O descanso fez bem ao FC Porto, que consumou a reviravolta no marcador por intermédio de Sérgio Oliveira: servido por Romário Baró, o 27 portista bateu Denis com um remate rasteiro e muito colocado, sem qualquer hipótese de defesa (57m). A partir daqui, os azuis e brancos procuraram reforçar a vantagem e Vítor Ferreira esteve perto de o conseguir, mas Rodrigo deu o corpo à bala desferida pelo médio lançado por Sérgio Conceição na segunda parte (66m).

Na resposta, Lourency surgiu solto de marcação ao segundo poste, mas deu demasiada força ao remate (71m). Foi o lance que precedeu a expulsão de João Afonso, que não voltou a escapar ao segundo cartão amarelo depois de mais uma falta merecedora do mesmo (72m). Em superioridade numérica, o FC Porto ainda procurou o 3-1, mas o encontro terminaria com vitória pela margem mínima. Missão cumprida e três pontos somados no regresso a casa e aos triunfos.

    O Portal do FC Porto utiliza cookies de diferentes formas. Sabe mais aqui.
    Ao continuares a navegar no site estás a consentir a sua utilização.