FCP logo
0

Sérgio Conceição projetou o Manchester City-FC Porto, da primeira jornada do Grupo C da Liga dos Campeões (quarta-feira, 20h00)

A primeira jornada do Grupo C da Liga dos Campeões levou o FC Porto até ao City of Manchester Stadium, recinto que esta quarta-feira, a partir das 20h00 (TVI/Eleven Sports), vai receber o duelo entre o Manchester City e os campeões nacionais. Na antevisão do encontro frente à equipa comandada por Pep Guardiola, Sérgio Conceição reconheceu que do outro lado vai estar “um adversário de qualidade”, mas o objetivo dos campeões nacionais é somar o primeiro triunfo europeu em Inglaterra.

Habituado à Liga dos Campeões
“Sem qualquer tipo de arrogância, enquanto jogador e também enquanto treinador, toda a minha vida foi nesta competição que competi. Em termos mediáticos, estes jogos chamam muito mais a atenção, mas o nosso sentimento é sempre o mesmo: temos uma vontade enorme de ganhar este jogo e preparámos tudo ao máximo para podermos sair vitoriosos. O meu espírito não está diferente do que era há uma ou duas semanas.”

A primeira vitória em solo inglês?
“É essa a minha vontade e vamos fazer tudo para que isso aconteça. Temos muito respeito pelo adversário e pelos últimos anos desta equipa, principalmente com este treinador. Cabe-nos fazer aquilo que trabalhámos para podermos contrariar essas estatísticas tão negativas. Não sou um homem de estatísticas e não gosto disso, até porque cada jogo tem a sua história, mas dentro da dificuldade do jogo, preparámo-lo para ganhar.”

Três jogadores portugueses no Manchester City
“Não acho que faça qualquer tipo de diferença. Hoje em dia a informação é tanta e de tão boa qualidade… Não acho que seja positivo ou negativo. É o que é. Os portugueses que representam o Manchester City são bons jogadores e aprecio a sua qualidade, sobretudo quando estão na seleção nacional. A partir daí, são jogadores adversários e não mais do que isso.”

As palavras do ex-Dragão Ricardo Pereira
“O Ricardinho tem que vir para a nossa equipa técnica e trabalhar connosco futuramente. O que ele quis dizer é que temos de tirar a bola ao adversário, pois assim não nos criam dificuldades, mas é preciso ter qualidade para tirar a bola ao adversário. E nós temos essa qualidade. Somos fortes nisso e com bola, mas do outro lado há um adversário de qualidade. A estratégia também passa por aí, pois há momentos em que vamos ter bola e outros em que não.”

As palavras após o clássico com o Sporting
“O detalhe, o pormenor, tudo é trabalhado. Há muita qualidade nas equipas técnicas e os jogadores conhecem muito melhor o jogo hoje em dia. Após o jogo com o Sporting não disse nada de mais. Toda a gente percebe e entende a exigência do FC Porto e as características que definem este clube e a mim como treinador. Só disse o óbvio. Estranho um alarido tão grande por algo tão básico.”

A braçadeira de capitão assenta bem a Pepe
“O Pepe é um excelente profissional, é um homem de balneário, um grandíssimo atleta no verdadeiro sentido da palavra. É um homem que percebe que, para continuar a ser um jogador de alto nível aos 37 anos, é preciso mais do que duas horas de treino no Olival. É preciso o pré-treino, o pós-treino, o dormir, o acordar… O Pepe é um grande profissional e tem um caráter fantástico, além de uma dedicação enorme ao clube e aos companheiros. Para mim é um orgulho tê-lo como capitão e talvez seja o jogador mais competitivo que já treinei.”

    O Portal do FC Porto utiliza cookies de diferentes formas. Sabe mais aqui.
    Ao continuares a navegar no site estás a consentir a sua utilização.