FCP logo
0

O FC Porto saiu do City of Manchester Stadium com uma derrota por 3-1 na jornada inaugural do Grupo C da Liga dos Campeões

O FC Porto perdeu nesta quarta-feira frente ao Manchester City (3-1), no City of Manchester Stadium, em jogo da primeira jornada do Grupo C da Liga dos Campeões. Os Dragões até estiveram em vantagem com um belo golo de Luis Díaz, logo aos 14 minutos, mas a partir daqui começou o chorrilho de erros do árbitro Andris Treimanis, sempre em prejuízo do FC Porto. Kun Agüero, Gündoğan e Ferrán Torres marcaram para os ingleses.

Habituado à Liga dos Campeões como poucos, o FC Porto subiu ao relvado do City of Manchester Stadium com uma grande personalidade, batendo-se olhos nos olhos com o riquíssimo Manchester City. Ainda não estava decorrido o primeiro quarto-de-hora do encontro e já os campeões nacionais tinham motivos para festejar: numa magnífica jogada individual, Luis Díaz deixou vários adversários para trás no caminho para a área e rematou rasteiro sem hipóteses para Ederson, abrindo o ativo com categoria (14m). A vantagem foi sol de pouca dura, pois o árbitro letão Andris Treimanis e seus pares assinalaram um penálti a favor dos ingleses num lance precedido de falta sobre Marchesín.

O guarda-redes argentino foi pisado por Gündoğan e, na sequência, Pepe derrubou Sterling na área, o que levou à marcação do penálti. Mesmo perante a falta escandalosa de Gündoğan sobre Marchesín que as repetições confirmaram, o VAR holandês Jochem Kamphuis fez vista grossa e nem sequer convidou Andris Treimanis a ver as imagens, algo verdadeiramente inacreditável. Indiferente à péssima decisão da equipa de arbitragem, Kun Agüero fez o empate da marca dos onze metros, mas Marchesín adivinhou o lado e por pouco não defendeu o remate do compatriota (21m). Logo a seguir, a pressão alta do FC Porto fez o Manchester City perder a bola em zona perigosa, mas o remate de Matheus Uribe errou o alvo (22m).

Ainda antes do intervalo, Marega apareceu solto na área do Manchester City, mas o cruzamento do avançado maliano não encontrou nenhum companheiro e foi cortado pela defesa inglesa em zona frontal à baliza (43m). Na sequência, fica a ideia de que João Cancelo fez falta sobre Pepe dentro da área, mas Andris Treimanis mandou seguir e o jogo foi para intervalo com 1-1 no marcador. A segunda parte começou com Marchesín a negar o golo a Gündoğan (49m), mas o resultado seria diferente no reencontro entre ambos. Na sequência de uma falta inexistente assinalada a Fábio Vieira, o médio alemão fez o 2-1 num livre direto sem hipóteses para o guarda-redes internacional argentino do FC Porto, que voou em vão (65m).

Pouco depois, Ferrán Torres (73m) entrou na área portista, tirou Pepe do caminho e bateu Marchesín com um remate a meia altura, aumentando a vantagem inglesa para 3-1 (73m). A tarefa dos Dragões tornou-se ainda mais complicada e a derrota ficou consumada com o apito final de Andris Treimanis, de muito longe o pior em campo.

    O Portal do FC Porto utiliza cookies de diferentes formas. Sabe mais aqui.
    Ao continuares a navegar no site estás a consentir a sua utilização.