FCP logo
0

Dragões foram ao Barreiro derrotar o GD Fabril (2-0), na 3.ª eliminatória da Taça de Portugal

O FC Porto produziu o suficiente, no Barreiro, frente ao GD Fabril para começar com sucesso a defesa do título na Taça de Portugal. No mítico Estádio Alfredo da Silva, que durante mais de duas décadas consecutivas recebeu jogos da I Liga, os portistas impuseram-se por 2-0, garantindo a qualificação para a 4.ª ronda da prova rainha do futebol português.

Os Dragões pisaram o relvado com oito novidades no onze face ao último jogo, em casa diante do Portimonense. O desequilíbrio de forças foi evidente desde o início. Manafá acelerou pela esquerda e efetuou o cruzamento que permitiu a Taremi ficar muito perto do 1-0 (2m), sendo que pouco depois uma iniciativa semelhante do lateral desembocou num remate desenquadrado de Toni Martínez (11m). A pressão portista tornava-se mais intensa e traduziu-se em mais duas oportunidades para a equipa de Sérgio Conceição: primeiro, num lance de alguma confusão na grande área barreirense, Taremi voltou a ser protagonista, novamente sem efeitos práticos no placar (14m), e a seguir Toni Martínez também reapareceu em destaque, obrigando João Marreiros a um grande esforço para manter a igualdade (16m).

A assertividade revelada até então pelos detentores do título acabou, no entanto, por esbater-se, o que foi aproveitado pela formação do Campeonato de Portugal para fazer algumas aproximações à baliza de Diogo Costa. O momento em que os anfitriões mais condições tiveram para visar com êxito o alvo surgiu na sequência de um erro de Malang Sarr, mas Nuno Sá não acertou bem na bola e a ocasião perdeu-se (29m). Quando o Fabril já acreditava que poderia ir para o intervalo empatado, emergiu a inspiração de Toni Martínez. O avançado espanhol, nos descontos da primeira parte, foi assistido por Otávio e, num movimento acrobático de superior apuro técnico, desbloqueou o encontro, estreando-se a marcar de azul e branco e infligindo um duro golpe nas aspirações do coletivo do terceiro escalão (46m).

Num estado de espírito mais animado, os campeões nacionais avançaram para a segunda parte dispostos a acabar com a resistência do herdeiro da histórica CUF. Ainda antes de cumpridos os dez minutos iniciais da etapa complementar, Felipe Anderson lançou Taremi, com o iraniano a desferir um pontapé fulminante que dilatou a vantagem dos azuis e brancos (51m). O 3-0 até podia ter chegado na jogada seguinte por Nakajima, que rematou para uma defesa apertada do guardião local (52m).

O Fabril do Barreiro continuava incapaz de criar situações de perigo. Edi Castro, aposta de João Parreira no segundo tempo, trabalhou bem no corredor direito e arranjou espaço para servir Diogo Palma, mas o 17 do conjunto da casa falhou o desvio (67m). A menos de dez minutos dos 90, Luis Díaz protagonizou uma arrancada pela esquerda e deu a Evanilson a possibilidade de avolumar o triunfo, só que o avançado brasileiro, em posição privilegiada, passou ao lado do golo (82m).

O FC Porto reentra em campo na próxima quarta-feira. O confronto europeu com o Marselha, relativo à quarta jornada do Grupo C da Liga dos Campeões, tem início, no Vélodrome, às 20h.   

    O Portal do FC Porto utiliza cookies de diferentes formas. Sabe mais aqui.
    Ao continuares a navegar no site estás a consentir a sua utilização.