FCP logo
0

Sérgio Conceição projetou o FC Porto-Tondela da 4.ª eliminatória da Taça de Portugal (domingo, 18h30)

Depois de fechar com chave de ouro o percurso no Grupo C da Liga dos Campeões, o FC Porto volta a apontar o foco às competições internas, nomeadamente à Taça de Portugal, cuja 4.ª eliminatória reserva uma receção ao Tondela (domingo, 18h30, Sport TV), a segunda no espaço de uma semana. No passado dia 5 de dezembro, os Dragões bateram os tondelenses por 4-3 para o campeonato, mas cada jogo tem a sua história, como tantas vezes afirma Sérgio Conceição. Na projeção do reencontro com o Tondela, o treinador dos campeões nacionais sublinhou a vontade de “escrever uma nova história” em que só um desfecho importa: “Percebemos a importância deste jogo no sentido de que é a eliminar”.

A renovação de Sérgio Oliveira
“Fico satisfeito. Além de ser um rapaz que fez praticamente todo o percurso no FC Porto, tem vindo a evoluir de uma forma muito positiva. Fico contente por ele e pelo clube, que renovou com um jogador importante. É o começar de um novo ciclo em que ele tem de dar continuidade ao que tem feito.”

O reencontro com o Tondela uma semana depois
“Não é melhor nem pior ter jogado com o Tondela há uma semana. Esse jogo teve a sua vida e a sua história, mas procuramos escrever uma nova história amanhã. Esperamos fazer um bom jogo e ganhar, ultrapassando esta eliminatória da Taça de Portugal.”

As palavras do treinador do Tondela na antevisão do jogo
“Se dissesse alguma coisa no fim do último jogo faria mais sentido, mesmo não sendo verdade. Agora, é uma forma grosseira de condicionar os árbitros, na minha opinião, e que pelos vistos está bem em voga em treinadores espanhóis. Um é catalão, o outro é basco, mas ambos são espanhóis. Nos últimos tempos temos defrontado treinadores espanhóis que têm essa característica.”

Ganhar ou ganhar
“É um jogo a eliminar, mas sabíamos que neste ciclo de jogos que íamos ter eram todos decisivos. Na Liga dos Campeões determinava a nossa passagem, ou não, à fase seguinte. Agora é a Taça de Portugal e depois a Taça da Liga com jogos a eliminar. Temos de olhar para eles como finais. São etapas que temos de ultrapassar para irmos à final. Em termos de jogo, percebemos o que fizemos bem e o que não fizemos bem contra o Tondela, mas também percebemos a importância deste jogo no sentido de que é a eliminar. Para nós não muda nada, porque todos os jogos são como finais para nós. Aquilo que temos de fazer é ser uma equipa com a dinâmica ofensiva que já tivemos em muitos jogos e estarmos mais atentos no processo defensivo, de forma a estarmos mais preparados para reagirmos melhor à perda da bola e sermos mais eficazes na recuperação.”

Maior consistência defensiva na Liga dos Campeões
“São competições diferentes. A postura da equipa é ligeiramente diferente, nomeadamente na forma como estamos em campo. Estamos mais tempo a atacar nas competições internas, mas também depende da estratégia para o jogo. Defensivamente temos sido mais competentes na Europa, é verdade. Há aspetos a melhorar porque a vontade de ganhar e o ascendente sobre o adversário é bom, mas de forma equilibrada para não sofrermos com isso. Na Europa tem corrido bem a esse nível, mas trabalhamos diariamente para melhorar essa e outras situações. Se começamos a focar-nos só no facto de termos sofrido três golos com o Tondela… Também podíamos ter feito oito ou nove nesse jogo.”

O desgaste dos jogadores
“Olhamos para o jogo e vemos os jogadores que temos à disposição, dando relevo ao estado físico e anímico, pois o cansaço tira alguma lucidez. Também há o cansaço emocional de tantas viagens e tantos estágios e há jogadores mais desgastados. Escolho sempre o onze que me dá mais garantias para ganhar. Estou aqui para fazer essa escolha e meter a equipa mais forte para ganhar jogos.”

Desejos para o Natal
“Não sou grande adepto de dar e receber prendas. As coisas acabam por acontecer se as merecermos e trabalharmos para isso. Não peço nada que não mereça e que não trabalhe para o merecer. Espero sim, em termos daquilo que é a nossa vida, que isto melhore. Isso é que seria uma prenda fantástica. Que as pessoas se sintam mais confortáveis e que não andem tão desconfiadas com esta pandemia terrível que tem criado tanta tristeza e tanta insegurança. O que mais desejo é saúde para toda a gente. Desportivamente temos que ir sempre à procura daquilo que queremos e atrás dos nossos objetivos. Temos que trabalhar muito e dedicar-nos muito ao que fazemos, pois nada cai do céu aos trambolhões.”

    O Portal do FC Porto utiliza cookies de diferentes formas. Sabe mais aqui.
    Ao continuares a navegar no site estás a consentir a sua utilização.