FCP logo
0

FC Porto eliminado da Taça da Liga após desaire frente ao Sporting (2-1)

A série portista de 17 jogos consecutivos sem perder terminou de forma abrupta. Nos primeiros 85 minutos da meia-final da Taça da Liga, diante de um Sporting com nove habituais titulares, o FC Porto – sem poder contar com figuras como Sérgio Oliveira, Otávio, Luis Díaz e Mehdi Taremi - mostrou ser muito superior ao atual primeiro classificado do campeonato e a vantagem mínima no marcador não espelhava a verdadeira diferença entre os conjuntos. Porém, e porque os jogos só terminam quando soa o apito final, os leões conseguiram uma reviravolta fortuita e acabaram por vencer por 2-1, com golos de Jovane a quatro minutos do fim e quatro minutos para lá dos noventa. 

O FC Porto apresentou-se em Leiria num esquema de três centrais, com João Mário e Zaidu encarregues das alas e a dupla Marko Grujic/Matheus Uribe no miolo. Os dois primeiros remates da partida são da autoria do médio sérvio: um pontapé de ressaca prensado para canto e uma cabeçada à figura de Adán. Ao quarto de hora, o FC Porto já estava completamente instalado no meio-campo adversário e foi nessa altura que Tecatito Corona, com um passe fenomenal, descobriu Zaidu dentro da área do Sporting. O nigeriano pisou mal o fraco relvado do Estádio Dr. Magalhães Pessoa, desperdiçou a oportunidade e ficou queixoso do joelho. Pouco depois foi a vez de Diogo Costa tentar a assistência. O jovem guardião formado nas escolas portistas lançou uma bola teleguiada que, setenta metros depois, é recebida por Marega. O maliano tocou em Corona e o mexicano rematou por cima do travessão. À passagem da meia hora, o Sporting ainda não tinha efetuado qualquer remate e o FC Porto era dono e senhor do jogo. Quatro minutos volvidos, Pedro Gonçalves fez o primeiro disparo leonino da noite, cruzado e demasiado alto. A grande chance de golo do tempo inaugural pertenceu aos campeões nacionais: João Mário trabalha muito bem sobre a direita, desmonta Antunes e remata. O tiro foi intercetado por Coates e, na recarga, Moussa Marega vê o poste salvar os leões, que foram para o descanso com um nulo lisonjeiro.

A etapa complementar teve início da mesma forma e com os mesmos 22 jogadores. Após recuperação de João Mário no centro do terreno, Marega arrancou pela direita, cruzou atrasado para o coração da área e Matheus Uribe rematou muito por cima da baliza sportinguista. O segundo remate dos leões teve o mesmo autor e desfecho que o único do primeiro tempo, numa altura em que o encontro se encontrava num período marcado por muitas faltas e pelos elevados níveis de agressividade dos verdes e brancos. Ao minuto 66, o já amarelado João Palhinha interrompe um ataque portista com o braço na bola e o árbitro João Pinheiro limitou-se a mostrar o cartão vermelho a Vítor Bruno, treinador-adjunto do FC Porto, no banco de suplentes. Já dentro dos derradeiros vinte minutos, e após choque entre Pepe e Uribe, Nuno Santos arranca isolado rumo à baliza portista, ultrapassa um adiantadíssimo Diogo Costa e Felipe Anderson recupera a bola para alívio dos Dragões. Já com Manafá no lugar de Zaidu, Marega pega na bola no círculo central, passa pela defesa leonina e remata de pé esquerdo à entrada da área, deixando Adán pregado ao solo e fazendo o 1-0. Sérgio Conceição fez Toni Martínez render o maliano, Nanu substituiu Corona e, logo a seguir, o Sporting empata. Na sequência de um livre lateral pela direita do ataque, a bola sobra para o vértice contrário da área azul e branca e Jovane desfere um remate cruzado e colocado que embate no poste antes de visar as redes de Diogo Costa. Com tudo empatado, João Mário saiu e Fábio Vieira entrou. No último minuto dos quatro de compensação, Jovane recebe a bola com espaço, ganha metros pela esquerda e fecha o resultado em 2-1 a favor do Sporting.

    O Portal do FC Porto utiliza cookies de diferentes formas. Sabe mais aqui.
    Ao continuares a navegar no site estás a consentir a sua utilização.