FCP logo
0

Dragões bateram o Marítimo no Funchal por 2-1, em desafio da 20.ª jornada do campeonato

O FC Porto entrou no Estádio dos Barreiros pressionado pelas vitórias de Sporting e SC Braga no fim de semana, demonstrando, porém, muita vontade de revalidar o título. Os azuis e brancos derrotaram, já ao cair do pano, o Marítimo por 2-1, na partida de encerramento da 20.ª ronda da Liga, e mantêm-se firmes na luta pelo primeiro lugar.  

No regresso ao campeonato, após o triunfo europeu sobre a Juventus, Luis Díaz foi a única novidade apresentada por Sérgio Conceição para um jogo em que o primeiro ataque surgiu da parte do aflito Marítimo. Estava apenas em curso o minuto três quando, na sequência de um lançamento de linha lateral efetuado por Pedro Pelágio, Joel Tagueu conseguiu um cabeceamento que, contudo, não criou problemas. À determinação inicial da equipa insular os Dragões responderam da melhor forma ainda antes do quarto de hora: a bola batida num livre por Sérgio Oliveira e afastada pela defesa contrária serviu para um remate de Tecatito Corona, a que se seguiu alguma confusão na grande área maritimista aproveitada por Uribe para o 0-1 (14m).

Os campeões nacionais pareciam estar a controlar o duelo, mas os verde-rubros anularam rapidamente a vantagem azul e branca. No seguimento de um canto cobrado por Edgar Costa, o pontapé falhado de Tagueu isolou Léo Andrade e o brasileiro fez um desvio fácil para a baliza forasteira (18m). Inicialmente anulado por fora de jogo, o golo contou mesmo por indicação do videoárbitro. A partir desta altura e até ao intervalo, jogou-se sobretudo no meio-campo do conjunto orientado por Milton Mendes. Neste período, o momento de maior sobressalto voltou a ter na origem Sérgio Oliveira, cujo cruzamento permitiu a Mbemba cabecear perigosamente para uma intervenção difícil de Amir, sendo que o guardião iraniano defendeu igualmente a recarga do compatriota Taremi (34m). Pouco depois, Marega foi tocado nas costas por Zainadine na área dos anfitriões, um lance que nem Vítor Ferreira nem o VAR julgaram faltoso.

A segunda parte revelou-se mais intensa e logo a abrir foi novamente Joel Tagueu a dar trabalho a Marchesín com um disparo forte pela esquerda (48m). Mais tarde, Correa visou de longe o alvo e assustou os visitantes (60m). No entanto, eram os detentores do triplete quem procurava com maior afinco marcar e Corona, com duas tentativas (62m, 67m), mostrou ser um dos mais inconformados.

Apesar do domínio portista, o Marítimo teve outras oportunidades para se adiantar no placar. À arrancada de Alipour a que Marchesín se opôs galhardamente (83m), juntou-se a jogada em que Zainadine e Léo Andrade estiveram muito perto do 2-1 (84m). A incerteza quanto ao resultado final permanecia e a formação da Invicta acabou por prevalecer graças a duas apostas da etapa complementar. Rúben Macedo cometeu uma grande penalidade sobre Francisco Conceição e Otávio executou com sucesso o castigo máximo, garantindo três importantes pontos.

O FC Porto volta a entrar em campo no próximo sábado para o clássico com o Sporting. O embate da 21.ª jornada tem início no Estádio do Dragão às 20h30.

    O Portal do FC Porto utiliza cookies de diferentes formas. Sabe mais aqui.
    Ao continuares a navegar no site estás a consentir a sua utilização.