FCP logo
0

FC Porto venceu o Paços de Ferreira com golos de Pepe e Sérgio Oliveira na 23.ª jornada do campeonato

O FC Porto voltou a fazer o que melhor sabe: ganhar. Depois daquela que muito provavelmente terá sido a derrota mais saborosa da história do clube – em Turim, frente à Juventus – os campeões nacionais regressaram a casa e aos triunfos. Na noite deste domingo, no Estádio do Dragão, os portistas receberam e bateram o Paços de Ferreira por dois golos sem resposta e somaram três preciosos pontos diante do quinto classificado da Liga NOS. Pepe e Sérgio Oliveira, os donos da braçadeira azul e branca, decidiram o destino do jogo, a favor dos da casa, já dentro dos últimos quinze minutos.

Com o mesmo onze que havia carimbado o passaporte para os quartos de final da Liga dos Campeões, o FC Porto entrou num ritmo baixo e, além do forte cabeceamento de Mehdi Taremi após canto de Sérgio Oliveira logo a abrir, pouco perigo criou. Aos 25 minutos, e novamente na sequência de um pontapé de canto, Marega apareceu no sítio certo, contudo a finalização do maliano acertou num colega de equipa. Nessa altura, o Paços de Ferreira somente chegava ao último terço através de investidas pelos corredores laterais. Talvez por esse motivo, à passagem da meia hora Pepe usou da experiência e da liderança para corrigir o posicionamento sem bola de Zaidu. Já dentro dos derradeiros dez minutos do tempo inaugural, Matheus Uribe disparou forte, mas alto, e o capitão desviou para a malha lateral um livre de Sérgio Oliveira sobre a esquerda.

Após o regresso dos balneários, o figurino do jogo mudou. Com os suplentes Luis Díaz e Francisco Conceição em exercícios de aquecimento, Mbemba desferiu um cruzamento/remate desde a esquerda que só foi parado pelo travessão pacense. Pouco depois, Jordi foi obrigado a socar para canto um forte remate cruzado de Marega. À hora de jogo, Marchesín também teve que intervir, após desvio de Marcelo à queima-roupa. O marcador só viria a ser inaugurado dentro do derradeiro quarto de hora: Sérgio Oliveira cobrou um canto pela esquerda e Pepe desviou ao primeiro poste. A bola, que surgiu do pé de um capitão para a cabeça do outro, sobrevoou a defensiva dos castores e entrou junto ao poste mais distante. Estava feito o primeiro da noite e o golo número 900 da história do Estádio do Dragão. Logo a seguir, o recém-entrado Luis Díaz dispôs de uma excelente ocasião para dilatar a vantagem, mas o guardião do Paços de Ferreira foi mais forte no um para um e chegou primeiro ao esférico. Em vantagem, o FC Porto não deixou de procurar a baliza contrária e Sérgio Oliveira demonstrou-o de bem longe. A cerca de trinta metros da baliza, o herói de Turim puxou a culatra atrás e disparou um potente remate que Jordi defendeu para dentro das próprias redes. Até ao apito final, o mesmo Sérgio trabalhou sobre o flanco canhoto, porém a tentativa de golo sofreu uma carambola e saiu ligeiramente ao largo. Com este resultado (2-0), os Dragões atingiram uma volta do campeonato sem conhecer o sabor da derrota.

    O Portal do FC Porto utiliza cookies de diferentes formas. Sabe mais aqui.
    Ao continuares a navegar no site estás a consentir a sua utilização.