FCP logo
0

FC Porto saiu do reduto do Moreirense com um ponto e com queixas da arbitragem

Dez centímetros e várias grandes penalidades por assinalar impediram o FC Porto de somar a oitava vitória consecutiva na Liga NOS. Na noite desta segunda-feira, em Moreira de Cónegos, os campeões nacionais começaram a perder e foram para o descanso em desvantagem. Na segunda parte apresentaram-se decididos a dar a volta ao figurino, porém todas as iniciativas que Mateus Pasinato não impediu viriam a ser negadas por decisões da terceira equipa. Mehdi Taremi ainda empatou da marca dos onze metros e Toni Martínez até deu a volta ao marcador, contudo o golo da vitória azul e branca viria a ser invalidado e o encontro acabou mesmo igualado a um.

Com o mesmo onze que havia vencido o Vitória de Guimarães no Estádio do Dragão, na passada quinta-feira, os Dragões entraram em campo no Comendador Joaquim de Almeida Freitas preparados para enfrentar uma linha de cinco montada por Vasco Seabra e desde cedo a defensiva portista se instalou no terreno contrário. Ainda assim, à meia hora de jogo, só um remate desviado para fora de Otávio - e outro de Taremi sem perigo - figuravam no registo estatístico. 71% da bola pertencia ao FC Porto mas o Moreirense não se sentia incomodado, tal como demonstrou a combinação no ataque salva por Mbemba. Pouco depois, após canto sobre a esquerda, Ferraresi apareceu solto em zona proibida para inaugurar o marcador a favor dos da casa. Já dentro do período de compensação, Abdoulaye pontapeou a perna de Pepe dentro da própria área e o capitão portista acabou avisado por “tentar enganar” Hugo Miguel, conforme descrito pelo repórter de pista na transmissão televisiva da Sport TV.

Assim que a contenda reatou, Mbemba isolou Mehdi Taremi e o iraniano desperdiçou uma oportunidade de ouro para empatar, ao finalizar à figura do guarda-redes do Moreirense. Depois dos avisos dados por Otávio e Sérgio Oliveira, uma dupla tentativa de Marega obrigou Pasinato a boa defesa e só o poste negou o golo ao 11 portista. O internacional português e o maliano deram a vaga a Luis Díaz e Toni Martínez - depois Tecatito Corona e Mbemba foram rendidos por Francisco Conceição e Fábio Vieira - e um mau atraso de Pepe obrigou Matheus Uribe ao corte da noite: André Luís contornou Marchesín e só uma enorme intervenção do colombiano impediu o 2-0. À entrada para os derradeiros dez minutos, Marko Grujic rendeu Nanu e Abdul Conte derrubou Francisco Conceição dentro da sua área perante a vista grossa de Hugo Miguel e António Nobre. De seguida, um remate de Fábio Vieira saiu a rasar o poste direito e Rosic cometeu falta para penálti sobre Toni Martínez. Taremi não perdoou da marca dos onze metros e restabeleceu a igualdade no marcador. Até ao final – com o FC Porto em larga vantagem nas iniciativas atacantes (35-12) – Toni Martínez até consumou a reviravolta, contudo o VAR viria a anular o golo da vitória portista por suposta posição irregular do murciano (10 cm). Na sequência de novo cruzamento de Otávio, desta feita do lado oposto, Toni tornou a dizer que sim à bola, só que Pasinato encaixou o cabeceamento do espanhol. Antes do apito final do grande protagonista da noite - que deslocou uma falta para grande penalidade sobre Luis Díaz até fora da área - um livre de Fábio Vieira forçou o guardião brasileiro a boa intervenção e, na recarga, Matheus Uribe esteve a centímetros do 1-2.

    O Portal do FC Porto utiliza cookies de diferentes formas. Sabe mais aqui.
    Ao continuares a navegar no site estás a consentir a sua utilização.