FCP logo
0

Sérgio Conceição congratulou a equipa pela vitória expressiva diante do Moreirense (5-0)

Sérgio Conceição tinha pedido máxima seriedade no regresso às lides futebolísticas nacionais e os atletas corresponderam da melhor maneira possível. O FC Porto recebeu e bateu o Moreirense por cinco golos sem resposta e somou mais três pontos na luta pela reconquista do título de campeão. No final do encontro, o treinador portista salientou que os primeiros 45 minutos não foram ideais, mas “a segunda parte foi muito boa”, “bem conseguida” e demonstrativa do “compromisso” que o técnico havia exigido aos atletas na antevisão da sexta jornada.

Duas partes distintas
“Na primeira parte houve coisas que tivemos de falar ao intervalo. Ter bola de uma forma passiva não é a minha forma de estar nem de pensar o futebol. Dentro da nossa estrutura inicial tínhamos jogadores muito capazes a nível técnico, mas é preciso dar outros ingredientes ao jogo para criar dificuldade ao adversário. A segunda parte foi muito boa, com mobilidade, com bola, acelerando quando era necessário, pisando os corredores laterais e jogando por dentro. Foi uma segunda parte bem conseguida, sabíamos que íamos apanhar um adversário que tem a sua valia, um treinador e uma equipa técnica capazes, com jogadores que nos podiam criar problemas como acontecem numa ou noutra vez. Era importante fazermos um jogo com esse compromisso e levando-o para onde queríamos. Foi isso que aconteceu. Bom jogo, um bom resultado, parabéns aos jogadores.

Competição interna e externa
“O mais importante é que confio no grupo e em todos os jogadores que tenho à disposição. Hoje jogaram jogadores que não tinham tido tantos minutos e deram uma excelente resposta. É sinal de que trabalham bem, e isso é o mais importante. Temos um grupo competitivo, mas não só contra os adversários, também dentro do balneário. Isso é essencial para mim e para eles também. Há uma disputa grande entre cada um deles para conseguirem um lugar, e depois cabe-me a mim escolher, dependendo do acumular de jogos e da estratégia definida para defrontar os adversários.”

Opções de qualidade
“Hoje era importante termos mobilidade e não darmos referencias à possível linha de cinco do Moreirense. Hoje era preciso darmos outras nuances ao nosso jogo e ao processo ofensivo. Foi isso que procurei, com gente capaz de dar situações diferentes ao jogo, em relação ao que dão dois avançados puros. Eu tinha dito que o Fábio Vieira era uma opção para jogar ali, e também achei que o Vitinha tinha caraterísticas importantes para este jogo. Olhando para o último jogo só o João Mário é que não esteve na parte final em Madrid. Olhamos para a equipa e quem jogar certamente que dará o seu melhor. Se assim for vamos ser felizes, porque tenho um grupo com qualidade.”

Wendell
“Tem terça-feira treino, se justificar durante a semana jogará sexta contra o Gil Vicente. Também temos o Zaidu, o Manafá e até o João Mário. Há muita gente que pode jogar na lateral esquerda, cabe-me a mim decidir tendo em conta o trabalho que é feito durante a semana no Olival.”

    O Portal do FC Porto utiliza cookies de diferentes formas. Sabe mais aqui.
    Ao continuares a navegar no site estás a consentir a sua utilização.