FCP logo
0

Na primeira edição de 2022 da revista Dragões, Evanilson fala sobre o sonho que é jogar no FC Porto e recorda as sensações do clássico que resolveu

A agarrar a oportunidade de viver “um sonho de criança”, que era jogar num grande europeu como o FC Porto, Evanilson fez história em dezembro ao marcar o golo mais rápido do Estádio do Dragão frente ao Benfica na estreia a titular num clássico. Depois do melhor jogo da carreira “em termos de emoção”, o avançado brasileiro foi perentório: “Se continuarmos neste registo, podemos ser campeões”. Do início da carreira à luta por uma oportunidade no onze de Sérgio Conceição, o 30 azul e branco abordou ainda a sua boa relação com Taremi, apesar de o iraniano “falar inglês” – brincou – e lembrou com humildade o seu contributo para a manutenção da equipa B na segunda liga no ano passado. Para 2022, fica a promessa: “Estou a trabalhar para que seja um ano de vitórias para mim e para todo o grupo”.

Gravado na história do FC Porto está também Sérgio Conceição, que viu inaugurada uma estátua em sua homenagem no Museu do FC Porto no último dia de 2021. Ao lado do Presidente no espaço “Tanto Porto”, o treinador portista lembrou que a celebração “não é nenhuma chegada, mas a partida para mais vitórias e mais títulos” pois a sua ambição é “dar continuidade à história deste clube, principalmente na era do presidente”. Num “momento emocionante”, Jorge Nuno Pinto da Costa elogiou Sérgio Conceição, tendo-o considerado o “grande obreiro das vitórias do FC Porto dentro de campo” e elegido como um dos três treinadores que o marcaram: “Yustrich, Pedroto e agora Sérgio Conceição”.

Com glória, ficou escrito também o dia 13 de janeiro de 1988, em que o FC Porto bateu o Ajax pela segunda vez e conquistou a Supertaça da UEFA, juntando-a à Taça dos Campeões Europeus e à Taça Intercontinental, tornando-se, assim, na primeira equipa europeia a deter, em simultâneo, o triplete de troféus internacionais. Tudo para recordar em mais uma edição do “Fotos com História”.

Na frente de ataque, junto a Evanilson, atua o homem que, em 2021, viveu uma “Odisseia do golaço”, assim designada pela concretização de vários eventos extraordinários que culminaram num pontapé de bicicleta frente ao campeão europeu Chelsea digno e nomeado para o prémio Puskás. Entre janeiro e dezembro do ano que há pouco findou, Mehdi Taremi, entre outros registos notáveis, foi o melhor marcador do ano civil em Portugal pela segunda vez consecutiva – no campeonato e na globalidade das competições -, tornou-se no primeiro iraniano a marcar na fase a eliminar da Liga dos Campeões e somou 49 contribuições para golo, tendo apenas sido superado por Mbappé, Lewandowski, Haaland, Benzema e Messi.

Nem só dentro das quatro linhas o FC Porto é digno da elite europeia. Também fora de campo, ou até fora dos recintos, os adeptos portistas lideram no apoio, no amor e na devoção ao clube. Em 2020, enquanto o medo do novo coronavírus assombrava a população mundial, os Super Dragões mantiveram-se de garganta afinada e postura firme a apoiar o FC Porto. É de dentro do núcleo do coração portista e sem tabus que Igor Martins, fotojornalista que acompanhou a claque de janeiro a setembro desse ano, agora retrata as experiências vividas dentro de um grupo em que um dos lemas é “Ninguém Cala Este Nosso Amor”.

O hóquei patins do FC Porto é, sem sombra de dúvidas, “Uma equipa do outro Mundo”. Em dezembro, 25 anos após a última conquista além-fronteiras, os portistas venceram o único troféu internacional que faltava no seu palmarés e tornaram-se a modalidade com mais taças internacionais no clube, ultrapassando as sete do futebol. Frente ao Sporting, em 100 minutos divididos entre o Dragão Arena e o Pavilhão João Rocha, os portistas resistiram a toda e qualquer adversidade para lograrem este grande feito.

Homem de grandes feitos em dezembro foi Pedro Cruz, que esteve com a mira calibrada em vários jogos importantes para o andebol portista. A viver “o sonho” de jogar a Liga dos Campeões, o primeira linha azul e branco foi decisivo na vitória frente ao Kielce (7 golos), não descurando o campeonato, em que habitualmente é rei e senhor dos golos, estatuto que voltou a reforçar frente ao Águas Santas (13 golos) e ao Sporting (16 golos). Focado nos objetivos coletivos de “ganhar o campeonato e a Taça de Portugal”, já depois de ter conquistado a Supertaça, o primeiro título do seu palmarés individual, Pedro Cruz sabe e afirma que a equipa pode bater-se com qualquer um: “Este grupo já provou inúmeras vezes que é capaz de ganhar a qualquer equipa”.

Para ler, há também as entrevistas a Vlad Voytso que, após quatro anos de Dragão ao peito, é perentório a afirmar que “não há clube mais especial que o FC Porto”, e também a José Neves, bicampeão nacional em 2021 no “Regresso de sonho” à W52-FC Porto. A revista Dragões de janeiro conta ainda com um artigo de opinião de Luís Osório, um jornalista e assumido benfiquista que deixou um “Elogio ao FC Porto”.

A edição número 422 da revista Dragões chegará, brevemente, às FC Porto Stores. Até lá, encontra-se disponível na sua versão digital. É fácil e gratuito.

    O Portal do FC Porto utiliza cookies de diferentes formas. Sabe mais aqui.
    Ao continuares a navegar no site estás a consentir a sua utilização.