FCP logo
0

Sérgio Conceição projetou a Supertaça frente ao Benfica (quarta-feira, 20h45)

Esta quarta-feira, a partir das 20h45 (RTP1), o FC Porto sobe ao relvado do Estádio Municipal de Aveiro para disputar a Supertaça Cândido de Oliveira com o Benfica, um troféu que os campeões nacionais já conquistaram por 21 vezes, mais do que todos os outros clubes juntos. Por isso mesmo, Sérgio Conceição garantiu um coletivo portista com ambição máxima num clássico que vale o primeiro título da época e que os Dragões querem muito vencer: “Gostamos de ter e de assumir essa responsabilidade de disputar cada jogo para ganhar. Este vale um título, mas ter este símbolo ao peito já é uma responsabilidade grande”.

Cada jogo é uma história diferente
“Os jogos são todos diferentes. Sabemos da importância deste jogo por ser uma final e atribuir um título, mas todos os jogos têm a sua história, a sua vida e a sua dinâmica. Podem acontecer muitas coisas, mas temos que estar preparados para aquilo que controlamos e é importante estarmos a 100% para darmos uma resposta muito positiva e ganharmos o jogo.”

Pepe, Otávio e Tecatito Corona em dúvida
“Quanto ao Pepe, é 50/50. Vamos ver nas próximas horas, mas não está descartada a utilização dele. Otávio e Tecatito Corona não sei, vai ser até à hora do jogo. Vão fazer tratamento diariamente. Vamos ver a evolução e decidimos perto da hora do jogo.”

O que esperar o Benfica
“Cabe-nos perceber que dinâmica terá a equipa do Benfica, mas conhecemos individualmente os jogadores. Sabemos como funciona quando tem bola e quando não tem, além dos esquemas táticos. Estamos preparados para os diferentes cenários, mas obviamente que não controlamos o que o treinador do Benfica pensa. Sei que é um treinador que diariamente empresta muita convicção e muita determinação naquilo que faz. Vamos percebendo o que as equipas fazem mas num passado mais recente, mas faz parte da nossa preparação. Não me cabe a mim falar na véspera do jogo daquilo que é o Benfica como equipa. Toda a gente reconhece que é uma equipa extremamente ofensiva e creio que até é a equipa que tem mais ataques e situações de golo no campeonato. Defensivamente, aqui e acolá tem sofrido alguma coisa em determinados momentos. Cada jogo é um jogo e há situações que não podemos prever, pois também depende do estado emocional dos jogadores, de erros individuais, etc. Há coisas que não podemos controlar, mas concentração competitiva tem que haver, a começar no treinador e acabar no roupeiro. Isso também se trabalha. Um jogo é um jogo e por isso é que é tão bonito e apaixonante.”

Os capitães e a dedicação ao jogo
“O que o Pepe disse é o que penso. O capitão usa a braçadeira, mas toda a gente tem de assumir a responsabilidade de representar um clube como o nosso e não abdicar dos nossos princípios. Todos têm de ser capitães no balneário. O Pepe vai estar connosco amanhã, quer jogue ou não. Sempre que há jogos ricos a nível tático, para mim são espetaculares. Há quem olhe para arte contemporânea e goste, mas há quem olhe e só veja rabiscos. Sabemos que vamos encontrar um Benfica com uma equipa técnica experiente, mas nós também não andamos aqui há pouco tempo. O brilhantismo é a entrega e a dedicação ao jogo, porque a qualidade os jogadores já têm.”

Sporting é a melhor equipa?
“Quem está na frente, tirando uma exceção ou outra ao longo dos anos, merece estar lá. Não vejo nada que cause espanto no facto de o Jorge Jesus dizer que o Sporting é a melhor equipa por estar na frente no campeonato, mas isto é uma maratona. Vamos ver no fim quem está melhor e quem está em primeiro. Às vezes cria-se polémicas em situações normais e básicas, mas a qualidade depende do critério de cada um.”

Um jogo que não influencia o resto da temporada
“Mal seria se isso acontecesse. Isto é um título relativo à época passada e vem das nossas conquistas. É um jogo e um título que queremos muito ganhar, mas também há outros objetivos importantes e essenciais. Mal seria se ficássemos agarrados a um jogo, no qual tudo pode acontecer, mas vamos fazer tudo para que as coisas corram bem e para que possamos estar felizes no final do jogo.”

Pizzi acusou positivo à Covid-19
“Não vejo como uma vantagem o Pizzi não jogar. As pessoas estão antes dos jogadores e desejo que esteja bem de saúde. Neste terrível momento que atravessamos, é impensável ficar com algum tipo de alegria por isto acontecer. E às vezes é com estas situações negativas que os jogadores se unem mais e o espírito se torna mais solidário, pois querem dedicar a vitória aos colegas que não estão. O Pizzi é um jogador importante na manobra do Benfica, por isso gostava que tanto o FC Porto como o Benfica tivessem toda a gente disponível. Aproveito para desejar ao Pizzi e a todos os outros Pizzis que estão a sofrer com esta pandemia que recuperem o mais rápido possível.”

O clube com mais Supertaças
“Temos que olhar para o historial do FC Porto e do Benfica. São duas equipas fortes, dois rivais, independentemente dos orçamentos. Os orçamentos não jogam. Na Liga dos Campeões somos a equipa com o orçamento mais baixo nos oitavos de final. Se os orçamentos jogassem já estava definido quem conquistava os títulos. Também estamos pressionados a ganhar, pois o FC Porto é o clube com mais Supertaças e com uma diferença grande para o segundo. Gostamos de ter e de assumir essa responsabilidade de disputar cada jogo para ganhar. Este vale um título, mas ter este símbolo ao peito já é uma responsabilidade grande.”

Quem está melhor?
“Há finais que foram ganhas pelas equipas que teoricamente estavam menos fortes e que tiveram supremacia em relação ao adversário. O jogo de futebol é uma caixinha de surpresas e temos de estar preparados para a abrir e ver o que está lá dentro. Por vezes não é a equipa que parece estar mais consistente que ganha. FC Porto e Benfica são equipas muito equilibradas a todos os níveis. Nada do que gravita à volta do futebol será decisivo amanhã.”

    O Portal do FC Porto utiliza cookies de diferentes formas. Sabe mais aqui.
    Ao continuares a navegar no site estás a consentir a sua utilização.